Jump to Main ContentJump to Primary Navigation
News

Primeiros passos rumo à mudança

  • 31/08/2018

Nas últimas três semanas, nosso foco tem sido ouvir e aprender. Enquanto empresa, costumamos solucionar problemas o mais rápido possível, mas esta alteração em particular não será feita do dia para a noite. Nosso objetivo é incorporar esta mudança em nosso DNA cultural e não deixar espaço para nenhum tipo de sexismo ou misoginia. Inclusão, diversidade, respeito e equidade são princípios não-negociáveis. Embora ainda tenhamos muito a melhorar, o que há de bom na Riot ajudará a impulsionar esta mudança. Esta será nossa maior prioridade até que alcancemos o objetivo com sucesso.

A todas as pessoas que decepcionamos

Antes de começarmos, temos algumas coisas a dizer, sendo que algumas delas já foram ditas internamente:

  • A vocês Rioters, prestadores de serviço, ex-Rioters e ex-prestadores de serviço: nossas desculpas. Pedimos desculpas pela Riot nem sempre ter sido o lugar que prometemos a vocês. E pedimos desculpas por termos demorado tanto a ouvir vocês. Nos próximos dias, semanas, meses e anos faremos da Riot um lugar do qual possamos nos orgulhar.

  • A vocês, jogadoras/es e fãs, antigos e atuais: é uma honra saber que vocês dedicam parte do seu tempo a nós. Sabemos que o estúdio responsável por um jogo também influencia na forma como vocês se sentem em relação a esse jogo. Sabemos que decepcionamos vocês e assumimos o compromisso de corrigir isso.

  • Às pessoas que pensam em iniciar uma carreira na Riot: entendemos perfeitamente suas eventuais dúvidas e receios. Ainda assim, precisamos de vocês, agora mais do que nunca. Precisamos de pessoas capazes de impulsionar as mudanças e de lutar pelo que é certo. Construir a Riot não foi fácil. Reconstruir também não será. Entretanto, a promessa de futuro da Riot está mais forte do que nunca e, se você tiver interesse em ser parte da solução, queremos conhecer você.

  • Às atuais e futuras parcerias: sabemos que vocês têm perguntas sobre a cultura da Riot e sobre o nosso futuro. Pedimos paciência enquanto, internamente, damos passos na direção de uma cicatrização e de melhoria. Nosso compromisso com vocês e também com nossas/os Rioters é de que a cultura da empresa será uma prioridade, e manteremos vocês atualizados ao longo de todo o processo.

Como escolhemos nossos primeiros passos

Assumimos o compromisso de fazer as coisas do jeito certo e sabemos que a mudança que buscamos não acontecerá do dia para a noite. Estamos assimilando tudo o que aprendemos com Rioters e especialistas em mudanças culturais e começando a desenvolver um plano substancial.

Os funcionários e funcionárias da Riot nos disseram que as medidas que tomamos até agora não são suficientes, e nós concordamos com isso. Os problemas que enfrentamos são sérios e, para promovermos essa mudança, temos que entender completamente a origem dos problemas. Esta transformação nos dará forças para seguir adiante enquanto empresa. Para chegarmos lá, nossa cultura precisa evoluir, e, ao mesmo tempo, preservar as coisas boas que tornam a Riot especial.

Primeiros passos

  1. Expandindo a cultura e a iniciativa de Diversidade e Inclusão: criamos uma nova equipe para liderar nossa evolução cultural. Essa nova equipe e seu trabalho atingirão cada cantinho desta organização, além de acelerarem nosso atual trabalho cultural e de inclusão. Queremos manter o que a Riot tem de bom atualmente — como nosso foco na empatia com os jogadores — sem desviar os olhos do futuro. A equipe responderá diretamente à presidência da empresa.

  2. Revisitando definições culturais: estamos colocando tudo na mesa, inclusive nossos princípios culturais fundamentais, como nosso manifesto. Isso inclui uma reavaliação da linguagem usada na Riot, palavras como "gamer" e "meritocracia", para garantir que elas tenham o mesmo significado para todo mundo. Se as palavras forem mal utilizadas ou não nos ajudarem a descrever nossa visão para o futuro, não as usaremos.

  3. Avaliação terceirizada: trouxemos duas pessoas que trabalham com consultoria em mudanças culturais para nos oferecer conhecimentos e recomendações no processo de reconstrução da cultura da Riot. Nosso objetivo não é apenas ter sucesso; é ser uma empresa líder em diversidade, inclusão e cultura. Pedimos para essas pessoas desenvolverem mecanismos para monitorar nosso progresso e nossa responsabilidade no cumprimento desse objetivo.

  4. Processo investigativo: estamos avaliando e aprimorando nossos sistemas e processos investigativos. Perdemos a confiança de uma variedade de Rioters, e para reconstruirmos essa confiança, é preciso que estas pessoas sintam segurança e empoderamento para expor problemas. Vejam algumas coisas que já fizemos:

    1. Implementamos uma linha direta onde qualquer pessoa pode, anonimamente, expor problemas e fazer reclamações.

    2. Aumentamos nossa equipe interna e contratamos um escritório de advocacia para avaliar nossas políticas. Eles também trabalharão lado a lado com as equipes de talentos para investigar novas reclamações feitas por Rioters e oferecer outra visão, complementar e imparcial, em todas as nossas investigações.

    3. Ninguém nem nada é sagrado. Estamos a postos para fazer grandes mudanças e começamos a tomar medidas relativas a casos específicos, incluindo a remoção de alguns Rioters, embora não queiramos entrar em detalhes publicamente por motivos legais e de privacidade.

  5. Reavaliação do recrutamento: estamos acelerando nossos esforços para tornar nosso sistema de recrutamento mais aberto. Vamos reformular nossas descrições de emprego para que abranjam todos os grupos demográficos; reavaliar de quais universidades estamos recrutando; e expandir os grupos que usamos para selecionar nossos candidatos.

  6. Treinamento: vamos investir ainda mais em treinamento. Treinamentos que eram exclusivos à gerência agora serão oferecidos a todos os funcionários e funcionárias da Riot, inclusive treinamentos de entrevista e anti-assédio. Também vamos investir em treinamentos anti-viés para estimular comportamentos geradores de um ambiente de trabalho justo e inclusivo. Além disso, investiremos em treinamento gerencial para que toda as pessoas em cargos de gerência possam construir e manter equipes melhores. Esses treinamentos serão necessários para funcionários e funcionárias atuais, e alguns elementos serão integrados ao nosso programa de integração com a Riot.

  7. Montando a equipe de D&I: estamos totalmente empenhados no processo de contratação de uma pessoa para assumir a Diretoria de RH (CHRO, Chief Human Resources Officer) e recentemente começamos a procurar alguém para assumir a Diretoria de Diversidade (CDO, Chief Diversity Officer). Juntamente com CEO,  Presidente e a Diretoria de Operações, essas pessoas formarão a equipe de liderança executiva e trarão muita experiência para nossa atual equipe de D&I para acelerar todo o nosso trabalho nessa área.

O que vem por aí?

Sempre acreditamos que a Riot deveria ser o lar das pessoas mais talentosas da área de games. Obviamente, não alcançamos esse objetivo -- mas nunca fugimos de um desafio antes, e não pretendemos começar agora.